Desportos Náuticos

O mar é um meio propício à prática de vários desportos, como por exemplo:

Bodyboard:


O bodyboard surgiu a partir do surf e practica-se com uma prancha com o tamanho de "meio corpo", utilizando a força das ondas do mar que empurram os praticantes para a praia. É precisamente quando as ondas do mar rebentam que os praticantes de bodyboard executam as acrobacias.

 

O nascimento desta actividade remonta a 1971 e o seu pai é o norte-americano Tom Morey, que desenhou a primeira prancha de bodyboard, feita com pedaços de espuma de polietileno derretidos sobre jornais com um ferro quente.

 

Esta prancha, chamada Boogie Board, substituía os rails das pranchas de surf por vacuum rails (criando pistas de vácuo), que quase se agarravam às paredes das ondas.

 

Em Portugal o bodyboard teve um incremento considerável durante os anos 80, sendo hoje um dos desportos náuticos com mais adeptos, principalmente entre os jovens.

 

 

Canoagem:


A canoagem é um desporto que tanto se disputa em águas tranquilas como bravias e há dois tipos de embarcação, a canoa e o caiaque.
As primeiras canoas surgiram na América do Norte e eram utilizadas pelos índios do Canadá, que chamavam pirogas às suas embarcações, abertas em cima e revestidas com pele de animais, as quais utilizavam para se deslocarem ao longo dos rios.
As canoas eram, basicamente, troncos esventrados e afiados à frente para cortar a água.

 

A primeira canoa de competição surgiu durante a Guerra Civil Americana (1861-1865) pela mão do advogado escocês John McGregor. A canoa, do tipo caiaque, tinha o nome de Rob Roy e foi utilizada pelo escocês para expedições em rios e lagos.

 

Terá sido ainda na década de 30 que em Portugal a canoagem se começou a difundir, através da descida de rios, actividades de aventura e, até, algumas competições. O entusiasmo com esta modalidade cresceu, aparentemente, a partir do momento em que foi organizada uma descida do Rio Douro efectuada por remadores espanhóis.

 

 

Kitesurf:


O kitesurf é um desporto aquático de tracção. Uma asa de grandes dimensões (papagaio gigante) puxa com a força do vento sobre a água uma pessoa em cima de uma prancha.

 

As manobras que se podem realizar dependem apenas da imaginação de cada um, uma vez que este desporto combina vários desportos como o Windsurf, Skate, Surf, Snowboard e Wakeboard. O Kite (papagaio de vento) na sua forma mais simples foi inventado na China em 478 antes de Cristo pelos mestres de kite Kungshu P’an e Mo Zi e permaneceram sem grandes alterações até ao inicio do século XIX.

 

A nível nacional os primeiros praticantes apareceram em 97-98 na zona da Lagoa de Albufeira. Em finais de 2002 foi criada a APKITE – Associação Portuguesa Kite, que veio dar novo apoio a esta modalidade em plena expansão e organizou o primeiro campeonato nacional em 2003.

 

 

Mergulho:


O mergulho, modalidade desportiva aquática praticada desde tempos antigos, está dividido em dois tipos: um que é feito em piscinas, a partir de pranchas e trampolins e cujo objectivo é realizar acrobacias, pontuadas por juízes, antes da entrada na água; e outro que consiste em mergulhar mais fundo e durante o maior tempo possível.

 

A modalidade desportiva do mergulho estreou-se nos Jogos Olímpicos em 1904, na edição de Paris, com a particularidade de um dos saltos requerer ao atleta que após a entrada na água nadasse submerso o mais possível.Nos Jogos de Londres de 1908, foi adicionada à prova de plataforma, uma de trampolim. Actualmente, há saltos da plataforma (10 metros de altura) ou de trampolim (três metros).

 

Um tipo de mergulho muito diferente é o que leva as pessoas a nadar em águas mais profundas, normalmente no fundo do mar, com o mínimo de equipamento de ajuda. Tanto pode ser um desporto como um simples acto de diversão.
Os mergulhadores permanecem debaixo de água durante vários minutos, socorrendo-se apenas da capacidade dos seus pulmões e de um equipamento simples que consta de uma máscara, um tubo para respirar e barbatanas nos pés.

 

O scuba (self-contained underwater-breathing apparatus - equipamento de controlar a respiração debaixo de água) surgiu em 1943 quando Jacques Cousteau, em parceria com um engenheiro francês, desenvolveu um equipamento que era uma espécie de pulmão artificial. O scuba levou à difusão do mergulho submarino, assim como serviu para ajudar a estudar os oceanos e o seu fundo e, consequentemente, barcos afundados.

 

 

Motonáutica:


A motonáutica é um desporto onde participam barcos equipados com motores, tanto dentro como fora de bordo. As corridas têm lugar em lagos, rios e em mar alto, ao longo de percursos marcados por bóias, que podem ter uma extensão entre os 8 e os 48 quilómetros.

 

A primeira corrida acabou por ter lugar em 1888, em Inglaterra, e em 1903 Harmsworth criou um troféu que ainda hoje se disputa. A mais famosa prova norte-americana é a Gold Cup (Taça de Ouro), que se disputa desde 1904 e onde participam barcos com comprimentos que variam entre os 8,5 e os 12,2 metros, equipados com motores sem limitação de potência.

 

As corridas têm uma duração de 45 minutos e a largada, onde está uma vintena de participantes, é dada a partir de uma grelha definida por treinos, como acontece na Fórmula 1 do automobilismo.

 

Os barcos, que correm em rios, lagos ou enseadas, podem atingir velocidades na ordem dos 220 km/hora (170 em curva) e chegam dos 0 aos 100 km/hora em apenas 3,5 segundos. O barco não tem travões nem embraiagem e praticamente voa.

 

A Fórmula 1 da motonáutica passou pela primeira vez em Portugal em Maio de 1999, com o Rio Arade, em Portimão, a ser o palco da prova.

 

 

Natação:


Desporto conhecido desde os tempos em que era praticado por soldados gregos e romanos. Como desporto de competição, teve início, no Japão, no ano de 36 a. C., e passou a figurar como actividade escolar a partir de 1603. Ao longo da Idade Média, na Europa, não foi praticado, devido ao receio de contrair doenças.

 

Em Inglaterra, a natação surgiu no século XIX. Foi incluída nos primeiros Jogos Olímpicos da era moderna, em 1896, como modalidade masculina, e em 1912 como modalidade feminina. Esta modalidade é das mais populares em todo o mundo, sendo praticada por pessoas de todas as idades, e é geralmente considerada das mais salutares.

 

Existem vários estilos de natação: bruços, mariposa, costas e crawl; pode-se também nadar em estilo livre. Em competição, as distâncias variam entre os 50 e os 1500 m. Há provas individuais e de estafetas. Existe ainda o tipo de natação conhecido como fundo, no qual são percorridos quilómetros, geralmente no mar. Uma das travessias mais conhecidas é a do Canal da Mancha.

 

Para além da natação pura desportiva, existem ainda outras provas em piscina que se podem integrar no grupo das modalidades de natação: os saltos para a água, a natação sincronizada e o pólo aquático, todas elas também modalidades olímpicas.

 

 

Pesca:


Pesca é a extracção de organismos aquáticos, do meio onde se desenvolveram para diversos fins, tais como a alimentação, a recreação (pesca recreativa ou pesca desportiva) ou para fins industriais, incluindo o fabrico de rações para o alimento de animais em criação e a produção de substâncias com interesse para a saúde - como o "famoso" óleo de fígado de peixe (especialmente o óleo de fígado de bacalhau).

 

Em Portugal, tendo como referência o tipo de embarcações utilizadas e as técnicas usadas nesta arte podemos distinguir dois tipos de pesca, uma, artesanal, e a outra, industrial.

 

A Pesca artesanal e que é maioritária em Portugal caracteriza-se pela existência de meios tradicionais de captura com técnicas passadas de geração em geração, com linha e redes os barcos são de reduzidas dimensões e de fraca tonelagem, na maior parte das vezes sem motor. A tripulação é reduzida e as capturas não são significativas e como não dispõem de meios de conservação raramente permanecem no mar por muitas horas. O destino da produção é o auto-consumo ou a venda nos mercados locais.

 

A pesca industrial é praticada por navios de grande tonelada, muito bem equipados com grandes redes e funcionam como autênticas unidades industriais uma vez que procedem a captura do peixe, seu tratamento e respectiva embalagem e congelação. A detecção do pescado é feita por satélite ou por sondas com dispositivos para detenção dos bancos de peixes a sua captura é realizada por arrasto ou aspiradores. O destino da produção é o mercado.

 

 

Rafting:


Pensa-se que esta actividade nasceu como meio de transporte que servia o comércio de madeiras, nos países da Europa do Norte, nas densas regiões de florestas. Como o acesso a estas zonas era difícil, o rio revelou-se o meio de deslocação mais prático e rápido. Nos grandes rios americanos, os primeiros exploradores utilizavam o mesmo tipo de embarcações que na Europa – as jangadas, para a comercialização das peles e percorriam centenas de quilómetros.

 

Foi na década de 50, com a evolução e popularização dos Rafts de borracha, que o Rafting tomou impulso comercial. Somente na década de 80 foi desenvolvido o raft com sistema auto escoante, isto é, toda água que entra por cima, sai automaticamente, por furos existentes nas laterais do fundo (este, sendo insuflável, permanece sempre mais alto que o nível da água).

 

Em Portugal, também se foram desenvolvendo técnicas de navegação em águas bravas, impostas pela necessidade de transportas pessoas e bens. O Rio Douro, por exemplo, deixou referências marcantes no transporte do Vinho do Porto através dos Barcos Rabelos. Mas foi a técnica de “Paivar”que deixou marcas na história da evolução do Rafting em Portugal.

 

Técnica usada no Rio Paiva que consistia na utilização de uma vara longa que se firmava no fundo do rio, que permitia a deslocação e condução da embarcação.As experiências sucederam-se e muitas pessoas corajosas desceram o Rio Paiva em Canoas, Kayaks e Rafts a quem hoje se deve a evolução do Rafting, em especial no Rio Paiva, o mais selvagem.

 

 

Remo:


O remo como desporto surgiu por volta do ano 1700, em Inglaterra, com as regatas realizadas no rio Tamisa, onde eram utilizadas barcaças compridas. No entanto, antes de se transformar em desporto, o remo servia para deslocações, transporte e, até, para guerras. O remo é um desporto que utiliza grande parte dos grupos musculares do corpo, nomeadamente pernas, abdominais, peito, costas e braços.

 

Em Portugal, o remo surgiu em 1856 através da criação da Associação Naval de Lisboa, mas só em 1920 foi fundada a Federação Portuguesa de Remo.

 

Hoje em dia, as regatas internacionais têm uma extensão de 2000 metros e são percorridas, consoante o tipo de barco, em tempos que variam entre os 5,20 e os 7,30 minutos.

 

As embarcações, todas de fibra de carbono, assim como os remos, podem ter 1, 2, 4 ou 8 remadores. As tripulações de 2 (duplo scull) e 4 (quadri-scull) remadores, onde cada um tem dois remos, podem levar ou não timoneiro, mas a presença de um destes elementos é obrigatória no shell de 8. Nesta embarcação, cada um dos oito remadores tem um remo. Nos barcos onde só vai um remador (o skiff, com dois remos) é dado o nome de remo de parelhos à tripulação.

 

 

Surf:


O surf é um desporto aquático que consiste em deslizar sobre as ondas do mar com uma prancha, efectuando, simultaneamente, diversas manobras com diferentes graus de dificuldade. Este desporto, que é muito popular em todo o mundo, pratica-se em pranchas que, em média, pesam entre 3 a 7 kg (existem outras mais e menos pesadas, mas a tendência do mercado é fabricá-las cada vez mais leves) e medem entre 1,6 a 3,7 metros.

 

As pranchas são ligeiramente côncavas, dotadas de uma espécie de barbatana que funciona como estabilizador e podem atingir velocidades na ordem dos 55 quilómetros por hora.Os surfistas deitam-se na prancha e com os braços dão impulso para ganhar velocidade. A determinada altura colocam-se em pé em cima da prancha e deslizam sobre o mar, na crista das ondas, enquanto efectuam manobras.

 

É possível surfar com onda de apenas trinta centímetros de altura, mas quanto maiores forem mais velocidade se ganha.

 

Foi nas décadas de 50 e 60 que o surf se impôs em todo o mundo como um desporto e actividade recreativa, começaram a aparecer nesta altura os primeiros surfistas profissionais.
O primeiro campeonato mundial amador teve lugar em 1964 e o primeiro de nível profissional decorreu seis anos mais tarde, dando origem a um circuito mundial que tem lugar durante todo o ano em praias de diversos continentes.

 

O surf é um desporto muito popular nas costas do Hawai e Califórnia (Estados Unidos da América), Nova Zelândia, Austrália, África do Sul, Brasil, Grã-Bretanha, assim como em Portugal, onde se desenvolveu bastante a partir de meados da década de 80.

 

 

Vela:


A vela é um desporto náutico em que as embarcações se deslocam na água através da força do vento. É possível velejar à frente do vento, em que o barco segue a direcção das rajadas, com as velas colocadas a um ângulo de 90º em relação ao eixo do barco, mas também com ventos laterais. Para isso é necessário colocar as velas com uma inclinação de 45º. Cada barco tem também uma quilha para impedir que se desvie do curso.

 

Na vela há três tipos de competições, as junto à linha da costa, as mais ao largo e as oceânicas. Entretanto, há dois tipos de corridas, em frota ou com os concorrentes a correr sozinhos, ganhando sempre quem somar o menor número de pontos.
Por ser um desporto antigo, a vela faz parte do calendário dos Jogos Olímpicos desde o início da era moderna, ou seja, desde 1896, embora nessa edição não tenha chegado a haver provas por causa do mau tempo que assolou a Grécia na altura.

 

Portugal, apesar de não ser uma potência da vela internacional, já ganhou algumas medalhas olímpicas na modalidade, a primeira das quais em 1948, em Londres. Os irmãos Fernando e Duarte Bello conquistaram a medalha de prata na classe Swallow.
Em 1952, em Helsínquia, Joaquim Fiúza e Francisco Andrade alcançaram o bronze na classe Star. Já em 1960, em Roma, e novamente graças a uma dupla de irmãos, José e Mário Quina, Portugal regressou ao pódio olímpico. Mais uma medalha de prata, desta feita na classe Star. Depois, foi preciso esperar até aos Jogos de Atlanta, em 1996, para a vela portuguesa voltar a brilhar. Nuno Barreto e Hugo Rocha conquistaram o bronze na classe 470.

 

 

Windsurf:


O windsurf é um desporto aquático em que o atleta progride através da água em cima de uma prancha dotada de uma vela movida pelo vento e pela força das ondas. O pequeno tamanho da prancha, o seu peso reduzido e a força do vento possibilitam a obtenção de velocidades na ordem dos 80 quilómetros por hora.

 

O windsurfistas, ou velejadores, posicionam-se de lado na prancha e movem a vela e o mastro, através de uma barra horizontal, de modo a aproveitar o vento da melhor maneira, ao mesmo tempo que mexem o corpo para guiar a embarcação. O expoente máximo deste desporto acontece quando os atletas são capazes de velejar na crista das ondas, fazendo saltos com mais de dez metros de altura que possibilitam a realização de acrobacias no ar.

 

O windsurf surgiu em meados dos anos 60, quando o inventor britânico Peter Chilvers criou uma prancha com uma vela. Mas este desporto só se tornou mesmo popular em 1965, quando o norte-americano Hoyle Schweitzer decidiu combinar o surf com a vela.

 

Quase de imediato o windsurf ganhou grande popularidade, mas os seus criadores estavam descontentes por terem de usar as velhas pranchas de fibra de vidro. Depois de várias pesquisas resolveram passar a utilizar pranchas de polietileno, um material mais barato e duradouro.

 

O windsurf passou assim a estar presente em todo o Mundo, disputando-se provas em dezenas de países. Em 1982, começou a realizar-se um circuito internacional constituído por dezenas de provas e, dois anos depois, a modalidade passou a fazer parte do programa dos Jogos Olímpicos.

ESCOLHA O SEU PAÍS

Selecione o país como destino de envio e escolha o idioma

Newsletter

Preencha o formulário com os dados pretendidos e receba todas as novidades, promoções e notícias da sua marca preferida.

Os dados recolhidos serão utilizados exclusivamente para o envio de Newsletters periódicas com informação de produtos e serviços

Campo de preenchimento obrigatório.

Campo de preenchimento obrigatório.

Campo de preenchimento obrigatório.

Campo de preenchimento obrigatório.

* Campos de preenchimento obrigatório.

Obrigado

O seu email foi submetido com sucesso.

Subscrever

O seu email já se encontra registado na nossa newsletter

Obrigado

O seu formulário foi submetido com sucesso.

A minha conta

Os seus dados foram alterados com sucesso.

A minha conta

Ocorreu um erro na actualização dos seus dados. Por favor reveja o formulário.